terça-feira, 15 de setembro de 2009

Envelhecer no skate

Pegar o skate nas mãos e sentir uma sensação de que naquele momento tudo está certo na sua vida. Tudo o que você sofreu, tudo com o que você se estressou, todas as limitações e frustrações do seu dia desaparecem. Você está finalmente fazendo uma coisa que você queria de coração. O shape e os trucks estão na largura certa, as rodas no tamanho exato e você está com aquela roupa que não prende em nada os movimentos. Tudo está no seu devido lugar.

Você joga o skate no chão e sobe nele. Pronto. Agora sim o seu corpo está completo. Você dá a primeira remada e sente a lixa aderindo ao seu tênis, o chão sob as rodas e o molejo dos eixos te transmite a sensação de leveza, de deslize sobre as ruas. Você olha as pessoas ao redor e sente por elas nunca terem experimentado tal sensação. Sente por elas passarem uma vida inteira através dos simples passos. Passos duros. Passos pesados. Passos quadrados e cadenciados. Caminhar é digital, skate é analógico.

Através do primeiro ollie você sabe se seu dia será bom ou ruim; ou que você poderá ficar tranqüilo e aproveitar ou que terá que se esforçar um pouco mais para ser o seu ideal. Só você sabe o seu ideal. Só você sente o que está sentindo e isso te conforta. Você sabe que pode se enganar em qualquer coisa na vida, menos no skate. A satisfação de voltar uma manobra com perfeição. A alegria de acertar uma manobra nova. A surpresa por conseguir cair em uma base que você achava que não seria a perfeita, mas que por ser imperfeita te transmite uma nova sensação. Experimentar andar com os pés mais juntos, mais afastados, mais à frente, mais atrás. Sentir a habilidade sendo adquirida ao longo do tempo. Sentir o amadurecimento do seu próprio skate. Sentir valer a pena todo segundo.

Ficar um ou mais dias sem andar fazem você se sentir vazio, mas quando você volta a alegria vem proporcional ao dias parado. Entender o skate. Se surpreender com o skate. Saber que por mais que você saiba muito, você ainda não sabe nada. Saber que mesmo o profissional mais admirado do mundo tem uma relação com o skate diferente da sua. Andar de skate, conversar skate, respirar skate, pensar skate. Tudo no mundo pode estar errado, mas quando você está em cima do skate você sabe que você está fazendo a coisa certa. O certo pra você. O certo pra sua alma. Saber que haja o que houver na sua vida, você ainda vai ser skatista.

Eu sou skatista. Haja o que houver.

8 comentários:

Eduardo Campagnoli disse...

"Caminhar é digital, skate é analógico."
Boa!

Roger Eduardo disse...

Pode crer, é isso mesmo!
Skate sempre!

SKATEKIDS disse...

PARABENS GOSTEI

Iuri disse...

PAU NO CU DO MUNDO! QUERO O INVERNO CONSTANTE EM MEU REINADO SABADO QUE VEM, SENAO A PORRADA VAI COMER, VOU MANDAR ACABAR COM O THE BERRICS E DISTRUIR SAO FRANCISCO. QUERO VER SE DEPOIS DE TODAS ESTAS AMEACAS A VOSSA PESSOA NAO VAI DAR AS CARAS!.

BREVEMENTE, O REI DE NITEROI.

Croque disse...

To emocionadamente deslumbrado com as parlavras desse fdp!
AHAHHAHAHAHHAHAHA skate é ANALOGICO PORRA!

D_aniel disse...

caraca vei.........puta inspiração^^

eduardo disse...

stuart, que texto do caralho...
se superou, hein?
envelhecer no skate é foda...
a barriga, os joelhos "fudidos"...
seu texto ficou ótimo.
você trabalha com quê mesmo?
abração do amigo eduardo.
se tiver um tempo, veja um cara de 41 anos andando "for fun" (com um shape 41 polegadas): http://vids.myspace.com/index.cfm?fuseaction=vids.channel&channelID=367631763
skate na veia dos irmãos.
abração do amigo "xará" eduardo

Yuri disse...

Mandou bem garoto ! Mandou muito bem !