domingo, 5 de agosto de 2007

Penso, logo existo ou penso, logo desisto?

A muito tempo eu tento olhar pro skate com um olhar crítico, não só como um praticante viciado (que sou), e comecei a notar coisas que me incomodam bastante no comportamento das pessoas em geral. Acho que foi mais ou menos na época em que a galera achava que tinha que ouvir rap pra ser skatista. Eu mesmo ouvia bastante, não sei se por influência ou por gostar de verdade. As roupas eram giga-shock de monstro e parecia que havia até um movimento para se transformar o skate no quinto elemento do hip-hop. Os vídeos tinham uma trilha sonora gangsta!

Depois disso, parece que veio uma onda contrária, e os skatistas passaram a buscar as calças mais apertadas que existiam, no melhor do estilo pederasta/mundo mix, e a ouvir músicas mais pesadas. O estilo "du rép" deu vez ao estilo "punk". Mais uma vez aderi a modinha e larguei minhas calças XXL mesmo tendo consciência de estar fazendo aquilo por pura influência de vídeos americanos, que pouco se assemelham à nossa realidade.

Mas não é sobre o estilo de me vestir que quero falar. Quero falar que assim como eu, quase todos os outros skatistas brasileiros simplesmente copiam o que os gringos fazem e criam. Se eles ouvem rap, nós ouvimos rap. Se eles ouvem metal, nós ouvimos metal. Se eles usam calça tal, nós usamos calça tal. E isso acaba com a nossa chance de criarmos um skate totalmente diferente do deles, de cultivarmos nossa cultura e de vivermos de acordo com a nossa realidade brasileira. Me lembro que mais ou menos em 97, 98 eu estava ouvindo bastante Jamiroquai e mostrei o som pra alguns amigos meus skatistas. Todos odiaram e disseram que era som de viadinho! Só que depois de alguns meses, saiu uma 411 com uma música deles e uma Best Of 411 com outra. Acho que meus amigos nem se lembravam mais da minha indicação e me disseram: "Caralho, Jamiroquai é muito foda Stuart! Já ouviu?" Isso ficou gravado na minha cabeça como a prova de que a gente é muito péla-saco, mas muito mesmo.

E quantas bandas não passamos a ouvir depois de ouvirmos em algum vídeo de skate? Ou quantos tênis não compramos por todos estarem usando? E você ainda vem e fala assim: "Caralho cara, odeio esses playboys que fazem tudo que tá na moda! Todos ele usam esses Nike Shox e aposto que nem devem se amarrar tanto no tênis. É só porque todo mundo tem..."

Então acho sinceramente que nós não somos nem um pouco diferentes desse bando de playboys que vemos aí, já que fazemos igualzinho ao copiar os gringos em tudo que eles fazem.

Aposto que se a Transworld resolvesse colocar um Milton Nascimento na trilha do novo vídeo deles todos os skatistas iam sair downloadeando a discografia do cara! Só que como isso não acontece a gente fica ouvindo músicas em outra língua, sem entender porra nenhuma, sobre uma realidade tão diferente da nossa, tomando as dores de movimentos que nem são os nossos e dando grana pra uma galera que acha que a capital do Brasil é Buenos Aires, isso se já tiver ouvido falar no Brasil!

E não somos só nós que somos modistas: se você parar pra perceber, os próprios americanos adoram se rotular em grupinhos distintos. Isso faz parte da cultura DELES. Então talvez você nunca vá ver um skatista com roupa de rockeirinho sem andar de skate agressivemente, só mandando manuals e manobras técnicas. Assim como quase não verá os gangueiros só mandando em corrimão e gaps. Até isso é bem separado lá.

Então sugiro que paremos de ser apenas seres copiantes, péla-sacos, e passemos a valorizar o que temos de bom no nosso país. Não precisa parar de andar de skate nem parar de ouvir música dos EUA não. Só passe a ouvir mais coisas nacionais (mas nacionais mesmo, não um rap nacional, por exemplo, que é apenas um estilo de música americano cantado em português) e a ver que a gente tem coisa muito melhor que eles. Ouça uma música por achá-la boa, não porque é a música que o teu grupinho ouve.

E em relação a roupas, use o que você quiser usar, sem se preocupar em estar em um ou em outro estilo. Fale a aja como um brasileiro. Pare de copiar o jeito de falar, o jeito de gesticular, o jeito de olhar, o jeito de pensar dos americanos. A gente é brasileiro porra! Ou então vai morar lá e seja feliz!!!

7 comentários:

shadow disse...

aí,aki eh o Peterson ò_ÓV

porra aí...eu ateh concordo sobre isso de geral "pelar o saco"e tal lah dos videos gringos...no meu caso sobre música....eu pego mais como músicista...
Mais ô Eduardo,o foda que aqui no brasil oq predomina no povão eh samba,pagode,sertanejo,funk...
mais porra...jah pensou um videozaum de sk8 no interior....nisso tu dando rolé no meio dos gado lah....com uma música sertaneja ao fundo falando como eh baum viver no mato? ¬¬ ia ser foda neh...ou intaum um videozinho de uma mina andando de sk8 com akelas fantasias de samba..e mó marchinha de carnaval no fundo ( tipo...ô abre alas que eu kero passar....a pipa do vovô nao sobe mais... sei lah porra XD )
o que tem q se concordar eh...a cultura do brasil principalmente no sk8 eh espelhada na cultura de lah de fora...(ou diria imitada)infelizmente essas coisas nao se mudam da noite pro dia...mais tb ninguem se mobiliza à mudar né?...saum poucos hoje em dia q andam ao seu estilo próprio ò_óV
bom...falou aí...
tamo junto no rolé sempre galera!!!

Campagnoli disse...

É por isso que me amarro nuns funkão bolado!

Gregori Alecrim disse...

Na minha opinião o skate é uma tendencia mundial...as marcas querem que todos usem os produtos dela, fazem anuncios e videos com esse intuito,o skate sempre vai ser assim...você ve uma coisa associa ao rolé de algum skatista que você curte o stilo e quer comprar o produto essa é a idéia do video...se não nem iriam existir videos de bons de skate...só varios invernos constantes!

eu acho que neguim perde tempo demais analisando a antropologia do skate,tentando mil e uma formas de não fazer parte de nem uma moda...
só de você viver você ja ta na moda...
eu to pouco me fudendo se a roupa e larga,justa nova velha,rasgada...quero andar de skate pq pra isso graças a deus só precisa de um skate e um tenis podrão!
Hosoi andava de allstar...
ja andei de bamba,olimpikus e sempre procurei da um rolé e me divertir só me arrependo em algum dia ter tentado querer compreender a "galera"... todo mundo tem uma opinião e um ponto de vista...se é tão ruim a "moda" dos estados unidos pq que é tão bom viver la?
eu só sei de uma parada o skate é um só!posso ta ouvindo um Wu-Tang ou um Caetano Veloso que sempre vou ta com uma calça larga e um camisão!
Ande de skate e foda-se!
meu corpo é minha roupa!
a parada é andar de skate com alma!
isso ninguem copia!
paz a todos!

Gregori Alecrim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Eu nem acho, tenho certeza que é impossível parar de imitar os gringos, pra começar, tinhamos que parar de andar de skate e jogar futebol, e em segundo lugar a parada é de lá, naum existe possibilidade de naum imitar ninguém, essa parada é assim msm, assim como os outros países temtam imitar o futebol brasileiro, e conseguem, agente imita o skate dos EUA, o estilo de andar, pq, é maneiro ver os caras andando, essa parada é e sempre vai ser assim desde que nasceu o SKATEBOARD.
Sabe o que temos que fazer, andar de skate, foda-se se o fein é punk, gangsta, normal, perneta, maneta, foda-se.

ASS: Shinob

Stuart disse...

Vou tentar explicar o texto só mais uma vez: eu disse que NÃO precisamos PARAR de ouvir música americana só porque é americana. Sendo assim, acho que não preciso nem dizer que acho o mesmo com o skate. É lógico que é impossível não gostar de nada americano, até porque tem muita coisa boa de lá. O objetivo do texto não foi o de levantar bandeira contra os EUA, e sim contra a gente pelar saco de TUDO o que eles fazem. Por exemplo: você não usa drogas. Aí fica sabendo que os skatistas são drogadões e aí vái lá e começa e se drogar também. Outro exemplo: você curte pagode. Aí vê que os skatistas gringos só ouvem rap e só vai ouvir rap. E por aí vai...
Tá me parecendo que ou eu escreví muito mal essa porra ou nenguinho não tá prestando atenção no que lê.
É impossível não ter influência americana, e nem é isso o que eu proponho. É só pra gente começar a pensar por nós mesmos a adequarmos o skateboard à nossa realidade cultural e etc, até pra gente não ficar vivendo na expectativa de ter as mesmas coisas que os gringos tem, porque isso nunca vai acontecer. Acho que essa parada de querer ficar vivendo como eles só prejudica a nós, que vivemos nessa realidade daqui mas sonhando com a de lá. Falo isso por experiência própria e posso dizer que não acho isso bom pra ninguém.
ALGUÉM ENTENDEU, PELO AMOR DE DEUS?

Leandro disse...

disculpa cara...