terça-feira, 24 de julho de 2007

A importância dos vídeos no cenário do skate

Eu não me lembro quem ganhou a última edição dos X-games; não me lembro quem foi o campeão do circuito brasileiro de 2006; não me lembro quem ganhou o circuito mundial e muito menos me lembro dos segundos e terceiros colocados desses campeonatos. Agora, se você me pedir pra dizer o nome dos skatistas que participam de 10 dos meus vídeos de skate favoritos, provavelmente eu vou saber de todos. E também vou saber quase todas as manobras mandadas nesses vídeos. E aposto que a grande maioria dos skatistas pensa como eu.
Acontece que, infelizmente, no Brasil a indústria ainda não acordou pra esse fato mais do que visível a todos. Por que será?
A maioria dos profissionais brasileiros construiram suas carreiras em campeonatos. O campeonato de skate, aqui, é o principal veículo que um skatista pode usar para começar a ser reconhecido. Mas não acredito que isso eleve tanto o nível do skate quanto os vídeos. Quantas vezes você não viu um carinha dar uma linha muito básica num campeonato, repeti-la nas eliminatórias e na final e ganhar de um outro que tacou manobras sinistras, mas que errou uma ou outra coisa? Na minha concepção, isso vai de encontro a evolução do skate. É tentando e errando que você aprende uma manobra mais técnica, mais cabulosa. Se você fica só nas que acerta sempre, você não vai evoluir. Pode pegar uma base fudida, mas não vai passar disso. Pra você fazer uma boa parte de vídeo tem que andar muito, filmar sempre que possível e aí você tem liberdade de tentar as manobras mais difíceis. Lembro do Bob (Burnquist) dizendo que quando ele estava filmando pro Menikmati (vídeo da És), ele levava as vezes até 2 dias pra mandar uma só manobra. E olha a parte dele como ficou? Só manobras impossíveis e algumas inéditas. Quando que num campeonato ele poderia fazer isso.
Graças a Jagga o cenário nacional tá abrindo os olhos pros vídeos. Um exemplo disso é o AntiHorário (veja postagem abaixo) que tá fazendo sua parte. Cada vez mais a gente tá vendo a galera do skate produzindo seus próprios vídeos, amadoramente mesmo, e disponibilizando na net pra todo mundo ver. E com isso pessoas do outro lado do país, e até fora dele, podem conferir o rolé de garotos de cidades do interiorzão do Brasil que não tem acesso a São Paulo e/ou ao Sul, onde o skate bomba e que não têm a chance nem de correr um campeonatinho local. Va dizer que você não ficou mais crítico com o seu próprio rolé quando viu aquele muleque lá de Tangará da Serra com um rolézão gringo, cheio de manobras que você não manda??? O Youtube tá aí e agora todo mundo tá vendo que não dá pra ficar de bobeira, mandando as mesmas de sempre...
Por isso, gostaria de parabenizar a Qix pela sua promoção Sponsor Me Tape, que premiará a pessoa que tiver o melhor promo vídeo enviado com um lugar na equipe da marca. Isso impulsiona o skate e faz com que aqueles que não tenham acesso ao cenário nacional possam tentar correr atrás do seu, mesmo que tão longe.
Já tô cansado de escrever, o Jornal Nacional tá rolando, tentando bitolar minhas idéias e distraindo minha atenção e o Santana que eu tô ouvindo tá me fazendo querer parar de escrever, então vou ficando por aqui...
Nós mesmos estamos tentando fazer nosso segundo vídeo e em breve vamos acabá-lo e disponibilizá-lo aqui. É isso galera: vamos continuar andando muito, filmando, tentando, errando e nos divertindo, sempre!
Campeonato é o caralho!!!!

Um comentário:

Gregori Alecrim disse...

Porra acho q tu resumiu todo o pensamento do streetero nesse texto!
campeonato só serve pra encontrar a galera memo!
mandou no texto!!